• Gente e Gestao RH

COMO LIDAR COM PERSONALIDADE MANIPULADORA DENTRO DAS EMPRESAS


Os relacionamentos nem sempre são harmoniosos e pode ser difícil reconhecer quando são saudáveis ou não. Essa dificuldade é ainda maior quando há uma crença inquestionável na boa intenção do outro. Sem haver a percepção que uma personalidade manipuladora pode estar próxima.

A manipulação é estudada há muitos anos na psicologia e por diversos terapeutas. Foi verificado que possui a faceta inconsciente, devido as pessoas serem naturalmente "sedutoras". Ou seja, mesmo, sem intenção real, todos querem atenção, admiração e escolhem as palavras e gestos para obterem uma reação no outro.

A situação intencional é conceituada quando existe a consciência de ações para gerar reação na outra pessoa ou em um grupo, visando benefícios próprios, fator chamado de personalidade manipuladora, sendo muito freqüente no âmbito organizacional também.

Continue a leitura para conhecer como lidar com a personalidade manipuladora dentro das empresas.

A psicanalista Lindalva Moraes, escreveu no blog sobre psicanálise saúde mental, que a personalidade manipuladora pode ficar em evidência nas pessoas que desejam, de maneira mascarada, conduzir o comportamento do outro e fazer valer o próprio desejo. Elas tentam esconder que se julgam mais aptas em fazer escolhas em detrimento da vontade das pessoas que se relacionam. Nas empresas, verifica-se como fator comum, objetivando alcançar vantagens exercendo atitudes na tentativa de controlar o comportamento alheio.

Algumas razões da personalidade manipuladora:

1º - Baixa resiliência, ou não conseguir lidar com a contrariedade: As pessoas com essa razão tentam conduzir os outros para ações que sejam favoráveis aos interesses delas . Esquivando-se da condição de lidarem com o "não".

2º - Egoísmo: Nesse quesito o indivíduo visa os interesses próprios em detrimento dos interesses e do bem estar coletivo. Nesse caso, as ações manipuladoras costumam ser conscientes. Muito comum em empresas, cujos funcionários desejam mais atenção dos gestores, visam à promoção de cargos, tentam mostrar que algum membro do time não executa bem as funções.

3º - Os pais ou pessoas extremamente protecionistas: Nesse contexto, essas pessoas buscam induzir as escolhas e comportamentos por acreditarem que se essa atitude não seja considerada, existirá grande perigo.

4º - Dependência emocional: Pessoas com grau elevado de carência, não conseguem perceber o amor de quem está ao redor, assim, buscam sensibilizar, vitimizar-se, fazer chantagens emocionais veladas ou "sufocar" os vínculos e as relações.

5º Agressividade ou autoritarismo: Realizada através de imposição ou chantagens, através do medo. Exemplo: "Se você fizer isso, vou perder o interesse em você"; "Qualquer um pode fazer, você não pode?"; "O mercado de trabalho está com muitas pessoas querendo o seu cargo".

Qual a diferença entre a personalidade manipuladora e propensão à manipulação.

As pessoas propensas à manipulação se deixam influenciar ou permanecem no círculo de manipulação para os benefícios secundários, tornando-se isentas de responsabilidade com os próprios desejos e dispensadas das ações que as livrariam da manipulação.

No contexto organizacional, pode-se observa a formação de grupos em que uma pessoa mostra-se com personalidade manipuladora e outras exprimem apoio para acreditarem que terão benefícios associativos.

Afinal, nas empresas é muito comum um grupo juntar-se para conversar sobre as fraquezas do gestor, visando à saída dele do cargo para que haja indicação de outra pessoa "manipuladora" e os colegas que foram propensos à manipulação ganhe o carisma de quem foi direcionado para o poder.

Prática comum nos governos e também com os gestores com algum grau de insegurança que podem praticar a manipulação com a equipe ou com a diretoria contra algum subordinado que se destacar.

Como lidar com a personalidade manipuladora?

Primeiro passo é investir em um ótimo recrutamento e seleção. Conseguir identificar, por meio de técnicas de entrevistas por competência, a probabilidade do candidato realizar um estrago no clima organizacional da sua empresa devido habilidade em manipular negativamente o time. Caso o problema já tenha sido identificado na empresa, realize uma mapeamento de perfil, para escapar do fator pessoalidade e conseguir argumentos objetivos, resultando em clima organizacional positivo e tratar o problema de maneira profissional.

Observar as "entrelinhas", analise a possibilidade de ocorrência de um "jogo", compreenda os padrões de comportamento de quem manipula. Tenha calma e equilíbrio emocional no momento de expressar a opinião, visando demonstrar domínio e assertividade na comunicação, não sendo agressivo e nem submisso à tentativa de dominação.

Compreenda como funcionam as atitudes do manipulador para prevenir a influência dele sobre você. Caso perceba que está fora do controle, sendo possível, o mais indicado é o afastamento sutil. Veja o link especial que indicamos de 3 maneiras de manter o equilíbrio emocional no trabalho.

Lembre-se de quem você é, dos seus valores. Caso a proximidade com alguém manipulador não esteja lhe fazendo bem, tente colocar ponto final. Mude de assunto para diminuir a probabilidade do contexto manipulativo. Caso haja persistência, faça o distanciamento de maneira a não criar inimizades, mas também seja transparente, mostrando que seu objetivo é outro.

Caso você seja gestor e perceber que já existe conflitos em sua equipe, seja coerente e trate o assunto de maneira individual, fornecendo suporte e apoio para soluções. Conheça também Como fornecer feedback´s assertivos e aumentar a motivação da equipe.

Para você que é gestor de pessoas, separamos um artigo sobre saúde mental no trabalho e o papel do RH, clique para conhecer mais.

Esperamos que tenham gostado e compartilhe com os amigos.

Grande Abraço,

Ana Carolina Martins

Psicóloga Organizacional

Gente e Gestão RH

(31) 2531-0297

https://www.genteegestaorh.com.br

#Personalidademanipuladora #relacionamentos #empresas #GenteeGestãoRH #Recrutamentoeseleção #Entrevistaporcompetência #mapeamentodeperfil #pesquisadeclima